18 abril 2008

Sarau



Poetas nascem
Poetas crescem
Uns desabrocham
Outros amadurecem

Poetas dormem
Poetas hibernam
Poetas desaparecem
E não deixam vestígios
Uns retraem-se
Outros abrem asas e crescem

Poetas sonham
Poetas despertam
Poetas olham-se no espelho
Uns buscam a santidade
Outros confessam que pecam

Poetas sofrem as dores do mundo
Uns revoltam-se
Outros se rendem
Todos querem ser compreendidos
Poetas compreendem

Poetas são comedidos
Poetas são escancarados
Uns sabem o que sentem
Outros estão desamparados

Há os poetas só de um dia
Há os poetas ilimitados

Mas a poesia...
Ah, caros poetas,
A poesia,
Esta sobrevive.
Postar um comentário