09 setembro 2009

novas palavras





das palavras que lancei ao vento
sem refletir, no impulso do momento,
quantas feriram, humilharam,
quantas tentei trazer de volta e engolir,
quantas foram perdoadas e me resgataram
quantas fizeram chorar em vez de fazer sorrir...



das palavras que o vento me trouxe
desprezei as cruéis e guardei as doces
quantas vieram qual setas envenenadas,
quantas rebati ou fingi não ouvir,
quantas eram verdades por mim ignoradas,
quantas me fizeram chorar em vez de fazer sorrir...



sonho com um mundo de novas palavras
que o vento leve e que o vento traga,
que sejam tantas doces, amáveis e benditas,
que cheguem mansamente e façam o amor fluir,
que abracem e confortem almas aflitas,
que iluminem os olhos e façam sorrir...





arte de Helena Nelson Reed
Postar um comentário