04 abril 2010

Poesia e Emoção




Que palavra expressará o brilho de amor no olhar?
Que verso preencherá o vazio da saudade?
Como descrever a imensa dor que sangra na alma?
Há poemas que nos chegam como sussurrados por anjos,
há poemas que nos vestem como terno de alfaiataria
e há aqueles que nos exorcizam
por dar a público os segredos das gavetas.
Mas quando as emoções aglomeradas sufocarem
prestes a romper os diques das conveniências
esperemos que uma nova aurora nos liberte
e sopre em letras a poeira acumulada
para então chorarmos sobre as águas derramadas.



arte de Emily Balivet

Postar um comentário