25 junho 2010

Versos




os versos que de mim desfolham

e seguem em total independência

deixaram de ser meu atributo

em mim restou apenas a essência


viajam pelo tempo e pelo espaço

até pousar nos olhos do leitor

que a eles acrescenta seu contexto

e os digere por seu proveito ou valor


o que foi parido ao mundo pertence

se nem as árvores cobram por seus frutos

quem sou eu para querer tirar vantagem

dos meus pobres produtos brutos?




arte de Lucien Levy-Dhurmer


Postar um comentário