07 outubro 2011

Carta ao menino azul (Infantil)



O menino azul

O menino quer um burrinho
para passear.
Um burrinho manso,
que não corra nem pule,
mas que saiba conversar.
O menino quer um burrinho
que saiba dizer
o nome dos rios,
das montanhas, das flores,
- de tudo o que aparecer.
O menino quer um burrinho
que saiba inventar
histórias bonitas
com pessoas e bichos
e com barquinhos no mar.
E os dois sairão pelo mundo
que é como um jardim
apenas mais largo
e talvez mais comprido
e que não tenha fim.
(Quem souber de um burrinho desses,
pode escrever
para a Rua das Casas,
Número das Portas,
ao Menino Azul que não sabe ler.)

(Cecília Meireles)



Carta ao menino azul


vou te contar em segredo
como virá teu burrinho:
ouve com muito carinho
pois isto não é brinquedo

fecha os olhos - apertado
e imagina o teu amigo
já caminhando contigo
num galope compassado

a cor dele é tua escolha:
preto, azul, avermelhado,
de bolas, listras, malhado,
cor de telha ou até de rolha

ele conta muita história
de fada, de bicho, aventura
descreve como pintura
inventada ou de memória

com ele verás o mundo
bonito como um jardim
serás rei ou mandarim
no piscar de um segundo

e ele vai te apresentar
à menina de aura azul
de um poema lá do sul
que procura alguém pra amar

usa tua imaginação
e deseja com vontade
tudo pode ser verdade
dentro do teu coração
Postar um comentário