26 novembro 2011

Seu olhar de beatnik

Eu só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, loucas para falar, loucas para serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que nunca bocejam ou dizem uma coisa corriqueira, mas queimam, queimam, queimam, como fabulosas velas amarelas romanas explodindo como aranhas através das estrelas.(Jack Kerouac)
derreteu-se na mágica do mundo seguiu os pássaros que vi pingarem do seu ombro alçando voo no céu esverdeado deixou sua pose de beato bestificado autodidata vestiu o olhar de beatnik abriu os olhos à poesia bordou um coração rosa no bolso e foi a pé à Califórnia de braços dados com um louco-iluminado como era de seu agrado nada há de ser sentimental tampouco radical guarde as pérolas pois os porcos proliferam deixe o mapa desenhado nos muros só pra quem souber ver pule a janela siga as frestas as estrelas cadentes as setas os sinos os submarinos as areias das dunas os ventos furtivos esqueça os antidepressivos vista o olhar de beatnik e bote o pé na estrada sua confusão não é maior que a minha, Kerouac e meus sonhos enlaçam os seus
Postar um comentário