24 setembro 2012

Por um momento




      “Fui sabendo de mim
                                                 por aquilo que perdi”
(Mia Couto)


tentei juntar os recortes de pele
que deixei dependurados em galhos
pelos caminhos por onde o tempo me arrastou
tentei recompor as vidas
que fugiram de meu corpo
nas batalhas que despertaram os anjos e a lucidez
tentei me salvar dos rios de solidão
presa às algas, buscando espectros
nas brumas que envolveram a nudez de meus desejos
em vão tentei decifrar os códigos de barras dos sonhos
e as instruções sobre a reconstrução do silêncio nos espaços
inútil vasculhar as realidades íntimas
congeladas na espinha e nas veias
melhor deixar tudo isso aos olhos dos poetas
que conhecem bem todas as nervuras das almas
levanto-me da poltrona
calço os chinelos
e me lembro que é preciso preparar o jantar


(arte de Delphine Cossais)



Postar um comentário