30 setembro 2012

Um cais para o sonho




você vem e me oferece um cais para meus sonhos
sinto muito, não posso aceitar
os sonhos que tive e deixei atracados
afundaram no lodo e não puderam mais navegar

melhor deixá-los soltos, ao sabor dos alísios
remexendo e rebolando com a ondulação
fluirão livres em tons aquarelados
cruzando os espaços da imaginação




Postar um comentário