31 outubro 2012

Retorno




havia jasmins na janela
esperando seu retorno
o ar da tarde era morno
e recendia a canela

range o portão em estardalhaço
o peito arfando, o olhar febril
o livro largado no peitoril
e ela corre para o abraço

Postar um comentário