28 novembro 2012

Agulha





há uma grande tristeza
perpassando-me qual agulha
que fura e entra
passa e fura de dentro para fora
para novamente furar de fora para dentro
e vai costurando-me o corpo
e franzindo-me a alma
e a cada ponto sangro uma gota
que em segredo pesponta a mágoa
embainha o silêncio
e arremata a solidão
Postar um comentário