14 maio 2013

Muito além do jardim

arte de Glen Preece





estou cansada do futuro
e enjoada do passado
náufraga do tempo presente
não quero mais esperar a florada da cerejeira
ou me deleitar com a recordação dos passos na escada
fico esmagada entre o meu silêncio e o teu
nariz espremido nesta janela que dá para um alto muro
sabendo que a vida passa lá fora
longe como o mar
vazia como o escuro
como posso me recompor
foi tanta entrega que quase nada me sobrou
somos o poder da escolha
e as vítimas das colheitas
sigo em frente
vivo de saber-me tua
e de esperar que um dia sejas meu


Postar um comentário