20 setembro 2014

Primavera


eu vi a primavera chegando
sorrateira
insistente
infiltrando-se na solidão do inverno

de olhos fechados senti
o sangue da terra borbulhando febril

nas árvores e nos cantos do jardim
pássaros transformavam
fiapos e pequenos ramos
em ninhos aconchegantes
e as flores aguardavam
ansiosas
na porta do camarim
  
eu vi a primavera chegando
inteira
eloquente
espalhando poesia sobre a terra

entreguei a alma e intuí   
a vida se renovando fértil

havia leveza no ar
e esperança de dias alegres 
amornando corações
as noites povoadas de sonhos
evocavam nos homens 
o ansiado festim

eu vi a primavera chegando
jardineira
competente

ao tempo em que o inverno se despedia
ela já reinava absoluta sobre a Terra



Postar um comentário