15 maio 2015

O que eu faço aqui?



faço de conta que sou poeta
finjo que a vida é leve
e que tudo passa
como um vento breve
aparento ser feliz
invento que a dor é escassa
disfarço as pedras e as pedradas
engano a alma atormentada 
escondo a ferida cubro a cicatriz
enceno um mundo mais condizente
com a esperança que mora dentro da gente
faço de conta que sou poeta
ou quem sabe eu seja apenas atriz

Postar um comentário