28 outubro 2016

Por onde ando nos sonhos


por onde ando nos sonhos
entre grandes aventuras
e a solidão das coisas pequenas
tudo me pertence:
os segredos
os bordados na pele
as alturas de onde caio
as estradas que se repetem
as casas onde os fantasmas festejam

não sofro de insônias
mas de excessos oníricos
poderia escrever um livro sobre eles
talvez um dicionário
ou um guia de turismo

pena serem apenas sonhos
que na extremidade do dia
apagam-se
pena serem somente
essas viagens clandestinas
sempre só de ida
pena eu sempre esquecer
de levar a máquina fotográfica


Postar um comentário