08 dezembro 2016

O meio não tem fim



fluir como o rio
o rio não tem fim
até alcançar o mar
o mar não tem fim
plantar árvores
para dependurar as dores
as árvores não têm fim
as dores não têm fim
as raízes penetram nas veias
urdindo cortando 
delineando barcos
e os barcos vão 
pelos fins pelos meios
não há cais não há pousos
lembranças sem fim
os antepassados nos observam
de seus retiros
a vida não tem fim

Postar um comentário