06 janeiro 2017

Abandono


porque poesia me deixaste 
sem o mel das manhãs
porque não me entregaste
a solidão das estrelas
porque não incendiaste
meu coração de música
e meus olhos de rosas
e minhas mãos de loucuras
porque te busquei 
nos campos de ventos
onde pássaros imensos
formam sombras sinistras
porque na insone escuridão
não vieste sentar à beira da cama
para contar as histórias que já sei
foram esses motivos todos
e mais uns tantos pelo mundo deitados
que estancaram a magia e o sopro amoroso
e até que o mar traga de volta seus murmúrios
em doces sonatas ou heroicas sinfonias
recolho flores para arranjos
acaricio a dança das nuvens
deito-me sob árvores sábias
analiso a geometria da luz
e inundo de luar a folha em branco
que aguarda impacientemente
a palavra



Postar um comentário