11 fevereiro 2017

Aviso


a única maneira de tomar parte em minha vida
é não duvidar das tempestades
carrego o dom de alimentar trovões
e incendeio florestas nos olhares

meu silêncio é uma garrafa de champanhe
sou molusco que se arrasta fora da concha
para esconder-se novamente 
e impedir que alguém me apanhe

quem aqui ousa e reside
enfrenta uma casa assombrada
onde cultuam-se dores em altares
e cozinham-se gritos na madrugada

desista de rituais e exorcismos
jamais aposte em minha cura
cuide apenas de não enlouquecer
tentando entender minha loucura

Postar um comentário