10 maio 2017

Por veredas


não sei dos teus percalços
sei do meu caos
e das montanhas que escalei
na solidão das noites
sem treinamento
sem equipamento

não sei dos teus enganos
sei dos meus planos
e de como se desfizeram
como lanternas de papel
em chamas
hologramas

não sei dos teus segredos
sei dos meus medos
e de como os carrego comigo
arrastando e tropeçando
por veredas
labaredas

Postar um comentário