08 maio 2008

Mãos Vazias




Abre tuas mãos e olha:
vazias e tristes.
Mas não te faças de infeliz
nem de desesperado.


Sorri, nem que seja um falso sorriso.
Canta, nem que seja uma canção amarga.
Esconde tua infelicidade
nem que seja com uma máscara inútil.


Lembra-te de que o tempo
é irmão do esquecimento.
Não culpes os outros por tua solidão.
Não deixes que todos sofram
as lágrimas da derrota
que tu semeaste.
São inocentes, o erro foi teu.


Afinal,
quem te mandou abrir as mãos?
Postar um comentário