19 julho 2008

Escolhas



Fiz minha escolha
e o mundo me pertence

pago o preço
mas não arredo o pé
da minha liberdade

o mundo não faz minha vontade
nem eu faço a vontade do mundo

ainda que um
pouco de mim
tenha ficado
pelos caminhos
preso aos espinhos
não me perdi

atravessei o arame
equilibrei-me na corda bamba
e não caí

no mar de lágrimas
que derramei
não me afoguei

vesti a armadura
empunhei o escudo
sobrevivi.

Postar um comentário