25 novembro 2009

Não há como fugir do amor


Não há como fugir do amor

Não há como fingir imunidade

Um dia ele nos veste

Investe em nós suas flechas

Reveste-nos da paz dos dias

E da luz celeste

Seduz e captura

Induz à loucura

Reduz a compostura

E lá vamos nós

Fisgados

Rendidos

Perdidos

... e imensamente

Felizes!



arte de Georgina Hart


Postar um comentário