15 dezembro 2009

Asas


vou abrir as asas por dentro

quero a liberdade plena


o tempo só pesa

nos vãos

onde mora a ignorância


a serenidade está guardada

em algum poema rasgado


se o passado ficou perdido

nas lágrimas,

nas entrelinhas,

ainda é possível voar

sobre o fogo e sobre as pedras


e começar o novo dia

assim leve, assim livre




arte de Josephine Wall


Postar um comentário