14 outubro 2010

Delusion




que pensas saber da vida dos outros
se nem bem sabes da tua?

inventas estradas de sonhos
em verdades desconexas
trocas de olhos como de roupas
na busca por um novo encantamento
nos solitários dias arrastados
em brilhos ocos e instantâneos

levanto a ponta da tua sombra
e escrevo no teu chão:

viver não é pra qualquer um
(é para aqueles que sabem
o preço de uma morte em vida)


Postar um comentário