17 junho 2012

Entre partir e ficar





há essa espera frente ao mar
enfrentar o inesperado dá medo
o medo de deixar o silêncio falar
e calar em si o anseio do momento


o amor não está no fim do mundo
o princípio reside em mim
(não na superfície) 
há que mergulhar ou naufragar


há essa espera frente ao mar
há esse medo rente ao amor
já não sei mais se devo
partir ou ficar

Postar um comentário