22 agosto 2012

O caminho do meio



minha alma trespassada
engoliu todos os tons
e agora não respira
nessa rigidez de gases letais
sinto as dores recortadas
que se juntam
nos seres humanos
- amores e dores -
sons sempre levados às alturas
vagamos como desertores
embalados nas canções dos céus claros
abatidos e esmorecidos nos voos noturnos
buscando no caminho que o tempo ensina
a mágica de não tocar o chão
e bendizer todos os dias
o que nos move e nos fere
a flama que incendiamos
e a vergasta que nos pune
de braços abertos
para não cair do arame


arte de Sigitas Staniunas 

Postar um comentário