23 outubro 2012

Amoreira


amoreira, ah! minha amoreira
quão abençoada tu és!
te vi em meu quintal
ainda tão pequenina
e tão rápido cresceste
em pouco tempo os galhos já nos abraçavam
e não demoraste a oferecer teus frutos
doces, suculentos, em profusão

com que generosidade teus galhos
cedem e se curvam
para que possamos colher as amoras do alto
onde não alcançaríamos
com que alegria recebes os passarinhos
que tuas ramas vêm balançar
e se fartar de amoras doces
com que sabedoria escondes teus frutos
que o vento revela no revirar dos galhos
como a ensinar que devemos sempre
olhar as coisas sob diversos ângulos

agradeço a Mãe Natureza
por estares em nossa vida
cumprindo tua trajetória tão bonita
devotada e competente
esse teu jeito de amar
é conexão direta com a Criação

ah, minha amoreira
ensina-nos sempre a lição
de uma vida simples e completa
onde não falte amor e geleia de amora



(fotos da minha amoreira)


Postar um comentário