23 fevereiro 2013

Tiroteio de silêncios



era para ser a música
passou a ser o intervalo
era para ser magia
tornou-se lugar comum
era para ser poesia
só rimamos os silêncios

a sombra é o silêncio da luz
a ausência é o silêncio do amor

te olho como submersa
me olhas como se voasses

era para ser regresso
e não essa eterna saudade
um coração perfurado
que deixa ver o interior 
e que espera 
em silêncio
tentando estancar a dor




arte de  Dawn Chandler


Postar um comentário