26 março 2013

O rio da vida






passa a vida 
como um rio
presa ao tempo
como um fio
frágeis águas
fúteis mágoas
o rio leva
o tempo apaga
passa o rio
em rodopio
leva inverno
traz estio
vem o tempo
em seu fastio
leva a vida
leva o rio
fica a margem
fica o sulco
e o vazio


arte de Barbara F. Kokoszkaa

Postar um comentário