06 novembro 2014

meus olhos

arte de erwin blumenfeld


com meus olhos de nuvem 
desfaço chuva em arabescos translúcidos

com meus olhos de espelho
reflito séculos de ausências e acasos

com meus olhos de mar
navego insanidades que não compreendo

com meus olhos de jardineira
escavo neve em busca de flores adormecidas

com meus olhos de renda
teço destinos urgentes para salvar o mundo

com meus olhos de estrada
sonho pássaros que levem o mal para além das estrelas

com meus olhos de música
orquestro o supremo silêncio da paz

com meus olhos de criança
invento doçuras de amor para teus olhos

de olhos fechados 
vivo o infinito da minha poesia


Postar um comentário