10 outubro 2016

O que me assusta


o que me assusta é a inércia
o medo e a desconsideração
a dor que alimenta e endurece o casco
a multidão de olhos grudados na cena do crime
a hipocrisia a artimanha a privação
mazelas que crescem na alma
e vomitam como um vulcão
homens que se pensam deuses
discurso reles e infecundo
a carne fraca a solidão
o que me assusta e devora
é a lucidez da minha carente humanidade
e a ignorância da minha exata condição
busco o céu em seu azul profundo
e pergunto à imensidão
quanto há em mim da maldade do mundo?
- não ouço resposta mas peço perdão


Postar um comentário